domingo, 18 de março de 2012

Track and Field Night Run 2012 - Campinas

A corrida Track and Field Night Run - Shopping Iguatemi Campinas foi talvez, das 3 corridas que eu participei, a mais confusa, e isso se deve à logística do local. Primeiro que o trânsito para chegar ao shopping estava caótico, a sorte foi que eu cheguei um pouco mais cedo e não tivemos que enfrentar ruas bloqueadas, elas só foram bloqueadas quando eu já estava no shopping.



Fui com amigos que me deixaram próximo à entrada do shopping, e chegar a pé foi muito complicado, não tinha lugar para entrar se não estivesse entrando com o carro no estacionamento. Tive que descer uns morros próximo à entrada do shopping, passar pelo meio dos carros que chegavam, enfim, um sufoco, mas no final deu tudo certo.

A retirada do chip foi realizada no estacionamento coberto do shopping. Devia ter chegado um pouco mais cedo pois uma banda estava tocando e era muito boa, se chamava Frank Elvis & Los Sinatras. Tocaram de tudo, Amy Winehouse, Adele, B52's, etc. Muito boa mesmo e deu uma energia para começar a correr.


A concentração foi feita também no estacionamento e antes da corrida teve até um aquecimento legal orientado por uma educadora física. Aproveitei para me aquecer bem pois ainda tinha dores nas pernas da última corrida que eu tinha participado.




Nessa corrida estreei meu tênis novo, o Asics Noosa Tri 6. É um tênis muito bom, leve e bem macio e com bom amortecimento. As cores são bem chamativas, o que pra correr a noite é ideal. Ele chegou do correio no dia anterior e eu já o tinha usado o dia inteiro para dar uma amaciada antes de correr.


Achei o trajeto da corrida bastante difícil. A saída foi numa subida íngreme e minhas panturrilhas ainda doíam muito então larguei bem devagar. Deixei o povo me ultrapassar para não comprometer meus músculos. Quando já estava mais aquecido resolvi apertar o passo. Saímos então na avenida principal que leva ao shopping e aí senti que pudesse acontecer um acidente pois só tínhamos uma ou duas faixas da rua para correr e como era logo no início da corrida, as pessoas ainda corriam em blocos grandes, sem dispersão. A qualquer momento alguém poderia cair e ser pisado.

Depois vieram uma subida e uma descida, uma após a outra. Esses desníveis foram bastante difíceis de enfrentar, até que cheguei no meio da corrida. Ah, já ia me esquecendo, meu tênis desamarrou nos 500 metros iniciais da corrida. Fiquei com muita raiva, mas quem manda não dar nó direito? Amarrei o cadarço e continuei a minha prova.

No quarto quilômetro de prova descíamos uma faixa estreita com carros e ônibus descendo ao lado, muito perto mesmo. Poderia acontecer uma tragédia, o que felizmente não aconteceu.

Já no quilômetro final eu estava bastante cansado, não via a hora de terminar o percurso, então apertei a passada e desembestei para melhorar meu tempo. Na chegada, que era praticamente numa ribanceira, tive que descer travando o tênis no asfalto, segurando todo o corpo no joelho. Senti muita dificuldade em chegar nessa descida, fiquei com medo de contusão, mas consegui finalizar a prova.

Conforme mostra o gráfico abaixo, cheguei em 386 com tempo de 00:33:09, dois minutos a mais que minha útlima corrida de 6K. Isso se deve à dificuldade do percurso e da minha condição física que não estava das melhores.


Dessa vez o aplicativo registrou minha performance corretamente.


Logo que passei pela linha de chegada já peguei minha medalha, devolvi o chip, ganhei um copo de gatorade e uma salada de frutas.


Fui para a área de concentração. Lá percebi que estava tendo massagem gratuita para os participantes. Entrei numa pequena fila e tive uma massagem de 10 minutos bastante relaxante. Achei que melhorou bastante a minha dor e evitou que eu sentisse dores fortes no domingo. Claro que amanheci com dor, mas bastante suportável. Tomei um dorflex para passar e já estou pronto para a minha próxima corrida que será em benefício ao Centro Boldrini de tratamento de câncer infantil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário